Emicida

Musicografia

Ver todos as faixas desde Álbum
Medium_emicidio

Emicidio

mixtape 2010 Laboratório Fantasma, Fora do Eixo Discos

"Tenho visto muitas coisas, algumas animadoras outras nem tanto, mas tudo isso me traz uma coisa de positivo, a reflexão.

Com isso cresço, viajo e volto para mim cada vez maior, em uma destas viagens ao retornar me deparei com um Emicida previsível e viciado em hábitos que se tornaram fardos inúteis e não bagagem necessária para prosseguir na viagem, me tornei refém de mim mesmo.

Precisava fazer algo, para poder evoluir, prosseguir, pensei muito e cheguei a conclusão que era preciso morrer para poder nascer de novo e vencer, me livrar destes fardos para poder alcançar lugares mais altos, Daí nasceu a palavra Emicidio. Que consegue trazer em si toda a essência do que é esta mix tape, consegue trazer a idéia de que a morte é certa, mas a vida também. Acredito que se quando você acabar uma música você precisar explicar ela, então você fez música errado, convido a todos para se aproximarem e sentirem o resultado destes 2 meses de gravações e coleta de beats, reuniões, releituras de mim mesmo e pensamentos.

Mais uma vez voltamos com o cd produzido por nós mesmos, aqui na laboratório fantasma, com o mesmo amor e energia que sempre colocamos em tudo o que fazemos, Sejam bem vindos a minha segunda mix tape Emicidio.

A rua é nóiz"

Gravado em agosto de 2010 no Estúdio Maria Fumaça, exceto Avua besouro gravada na Loud ambos por Filipe Tixaman eSó mais uma noite gravada por Léo Cunha nos estúdios Casaum. Mixado e masterizado por Luiz Café. Foto por Ênio Cesar e Arte por Marcelo Lima.

Eu gosto dela

faixa 12
Composição: Emicida

Letra da música:

Bem leonina, menina, mandona
Linda, sabe da sina, mina valentona
Fina, cheia de razão, rainha, foliona
Ela, descortina o novo, bota fim na zona
Teu olhar ilumina, abomina o cafona
Amazona e bailarina, toda bonitona. (pá)
Ela é purpurina, esquina e paquitona. (tambem)
9 da matina, um café na poltrona. (ó)
Dona da rotina, mamãe corridona
Defina efeito sanfona, se acha esquisitona
Cafeína, Maracujina, moça respondona
Feiona em dia ruim, mas sempre bela dona
Maestrina do lar e popstar, Madona
Sovina dança, opina, sorri e faz carona
Quer ser minha pequenina e pro mundo grandona
Meu negócio da China, caipira, brigona

Eu gosto tanto dela, a ponto de querer tá perto, pronto
Não tem outro jeito de me ver sorrir
É louco o efeito dela, aqui.

Grita igual buzina em dia nervosona
Santa sem batina, ganha tranquilona
Hipnotiza a retina, flash, figurona
Estrela maior do show, se precisar, machona
Fria igual neblina, alegre e fanfarrona
Brilha igual platina, prima, sabichona
Ave de rapina e musa pras telona
No ritmo, atina e lá vai corona
Ela é paz pra Palestina, fé pra Babilônia
Respeito, disciplina, boba e brincalhona
Estriquinina a TPM, vira felizona
Ela abre o circo, ela recolhe a lona
Diz que tá gelatina e malha apegadona
Vira destaque da piscina, satisfeita mona
Messalina, corajosa, do lar e chorona
Faz tudo quando quer
Eita, mulher durona

Eu gosto tanto dela, a ponto de querer tá perto, pronto
Não tem outro jeito de me ver sorrir
É louco o efeito dela, aqui.